terça-feira


Querido diário, hoje decidi deixar-me estar, sem preocupações. Hoje, reflecti no que fiz, no que disse, no que sonhei com tanta ilusão, tenho pena de não me ter mentalizado que a dor acontece quando nós não estamos á espera, mas afinal, qual é a dor que é excepção á própria dor? A dor vem, mata, corrói, fecha todas as paredes e abre-nos ainda mais a ferida quando tocamos na dor, é como uma velha estúpida e doentia que nunca acaba por morrer, mesmo que queiramos. Apoiamos sentimentos em palavras e fazemos disto um mar de ilusões, um mar de perfeição, uma água pura sem nenhum virus e quando damos por ela sentimos que tudo desabou, tudo o que construímos foi abaixo e não há forças para voltar a construir. E o que é um sentimento? Um sentimento é uma definição que não está ao alcance de ninguém, muito menos ao meu. Quero apenas presenciar e reflectir sobre esta palavra que me torna indelével á vida, assim como tu, como nós. Renasci em cinzas, se calhar não, mas é o que me quero mentalizar. Espreitar pela janela e ver algo que nos motiva e nos fascina é a esperança, o choro consolado por mãos amigas e a força para viver.
Oh, tenho muito sono... vou dormir, se calhar, ou talvez não... É conforme der, conforme o meu pensamento.

2 comentários:

Raquel Granja disse...

Este texto está lindo. Mas está tao dorido. Deprimi mais um bocadinho.

Acho que tambem estou a precisar de dormir! :x

Galante disse...

Cada vez que leio os teus textos é como se me tivesse a ver a mim a escrever. Tens essa cabecinha uma confusão fofinha. Fazes-me mesmo lembrar alguém..
Gosto mesmo de ti és como uma irmã mais nova conta comigo Daniela, SEMPRE.