sábado

Talvez a pressa de viver demasiado depressa, a vontade de viver tudo de uma só vez, de ter tudo numa tarde ou numa noite faz de nós seres esfomeados mas sem naturalidade. Nem há espaço para digerir um momento, escrever sobre ele, ter saudades e tudo deixa de ser natural, torna-se uma rotina, maquiavélica na minha opinião. Acaba por ser monótono, rotina, necessidade (ou não) e estraga o que de precioso houve e havia. Foi erro de ambos, foi erro de amar demais, foi erro de querer tudo ao mesmo tempo. Mas agora, aprendi que tudo nesta vida merece um tempo e um espaço, se não acaba por ser vulgar e uma dor de querer e não querer. Agora, acalmo-me, vendo o que preciso e o que preciso de ver. Não acabou não, para quem pensou ou desejou, porque, meus caros, desistir não é o meu lema e o que vale a pena, nunca me é substituível. Não acabou porque a persistência e a esperança devem ser as minhas maiores qualidades e basta acreditar que temos uma sorte e se não a queremos perder, deixemos de ser orgulhosos e teimosos, deixemos de cagar nos problemas como se fossem filhos das putas, faremos deles um apoio para melhorar, faremos deles uma base para manter uma relação, corrigindo-os... Quando não queremos saber, quando não amamos de verdade, tudo nos passa ao lado e aceitamos um não para sempre. Mas eu daquele rapaz nunca o aceitarei por mais que seja um 'não' duro usarei todas as forças que Deus me deu para redimir os meus erros e fazê-lo perdoar-me. Para mim, parecia-me um filme a preto e branco aquelas horas todas em que chorei sozinha ou não. É dificil perder a nossa vida, a pessoa que nos sustenta assim, de um segundo para o outro. O mundo desaba, todos os caminhos são sem saída, nenhum sorriso é verdadeiro, dado sem vontade, a almofada é um encosto para todos os males, o mundo é preto e a dor consome-nos a alma toda, dói tanto e a única solução é correr atrás do sonho, mesmo que seja alimentado com uma esperança mínima ou nula. É triste, devastador. Quando eu acredito, o mundo pode dizer-me para não acreditar, podem-me prender, podem-me fazer-me a cabeça contra ti... Só que a minha alma rastejará sempre perto da tua, dos teus lábios, do teu cheiro de herói...

3 comentários:

Patrícia Costa disse...

escreves com toda a certeza e isso transmite segurança a quem lê isto de que da verdade falas! adoro adoro

Luisinha disse...

firmeza nas palavras! perfeito daniela

givemeanothersmile disse...

- gostei ,