sexta-feira


Varremos angústias, soltamos gargalhadas e recordamos imagens. Sento-me no baloiço e oiço chamarem. Vou descalça, embalada na viagem, descalça lá vou. O chiar do baloiço marca o meu ritmo tão intensamente. Sinto a frescura da erva nos meus pés, a relva molhada do orvalho da madrugada, a manhã, o Sol chegando aos pouquinhos, como que um pouco tímido. E no coração, vai uma vontade de percorrer mais. Prossigo viagem, olhando as paredes onde os teus beijos fizeram história, olhando as escadas onde fizemos juras de amor, olhando o sofá, olhando a chuva, olhando os bancos onde lanchamos juntos, olhando todas as ruas onde os abraços eram sinónimo de segurança, todos os beijos em todos os sítios. O primeiro beijo, o primeiro sonho dos sonhos. A timidez fez-se em vapor e a coragem solidificou. O beijo roubado, o proibido ali, a lei quebrada, o sabor ao teu cheiro, o sabor da tua história de luta. Viviamos assim a quebra do capítulo dos olhares e desejo. Passariamos agora a algo mais, passariamos aos beijos loucos á sombra das tardes frias e escuras de Inverno, o sabor a pura maconha, a liberdade, os vestidos, o perfume, o sorriso, as implicações, o teu relax, a minha teimosia e os teus beijos imediatos, o remédio santo. As noites nos teus braços, deitada no teu peito, enquanto me fazes festinhas na cabeça. Os beijos de despedida de cinco minutos, o aconchego das tuas palavras á meia noite e o abraço á beira da cabine telefónica ao som da trovoada. O dia de chuva, as férias. Só quero poder viver isto para sempre. Beijar-te todas as noites e contar-te segredos enquando caminhamos, contar-te o que não conto a ninguém, chorar e desabafar contigo, ouvir as tuas palavras e saber-te. Os teus olhos nos meus. E agora, sigo viagem, sempre em tua honra.

1 comentário:

Galante disse...

Obrigado minha Dani tu também és, gosto tanto de ti pah *.*