segunda-feira



Nem sei por onde começar, apenas sei que não estou bem assim. Ainda paraliso quando me beijas, ainda me tremo quando sei que te pode acontecer alguma coisa, ainda venero a forma linda como me tocas na pele e suspiras quando deslizas a mão pela minha pele e me dizes baixinho que tenho a pele mais suave do mundo. Sinto que a chama é eterna, que somos unha e carne, desde o primeiro dia que nos vimos.

Mas...
Algo me deixa nostalgia, algo me faz recuar quando era suposto avançar, algo me faz desentender o porquê. Afastar-me de ti é matar-nos, matar-te e matar-me porém não sei o que me deixa tão mimada. Sempre o fui e contigo, em exagero mas peço-te, para voltarmos á nossa essência. Sei que não morremos, quando te toco, tu fechas os olhos e sais deste mundo comigo, quando mexes nos meus lábios e passas o dedo no meu lábio inferior, com tanta calma e carinho...

Se nós não morremos por tudo o que já passamos e pelo presente, deixa-me ficar sozinha, pensar e concluir, deixa-me...
Hoje fazemos um ano e dois meses e eu amo-te muito. Prometo.

Daniela

1 comentário:

luisinha disse...

Sabes...
eu costumo dar um saltinho, diariamente, aqui pelo teu blog. quanto mais não seja por esta música, mas sobretudo pela capacidade que os teus textos têem de deixar qualquer um arrepiado. eu própria, leio, fecho os olhos e parto para outro mundo, que porém continua a ter um bocadinho do meu, mas torna-se tudo mais claro, mais transparente na minha cabeça, e se soubesses do quanto preciso disso. sabes de outra coisa?, é rara a vez em que de manha não ando a trautear "i can fly", comigo própria ou então pelos corredores da minha escola, sem que se apercebam. é reconfortante. acima de tudo, reconfortante. mais uma vez, és linda. (andréeeee ela é linda, andré!)


dani, um beijo dani