quinta-feira


Tantas memórias me assaltam, tanto pensamento me ofusca o olhar, tanto medo me prende, tanto pánico rebenta, tanta alegria explode, tanto orgulho vem ao de cima. Sento na cama e ajo como adolecente rebelde e choro mas faço-me de forte. Zangas, abraços, beijos, tudo tão em simultâneo, tudo tão rápido e tão duradouro ao mesmo tempo. São demasiadas vivências ao teu lado, nada de rotina mas sim amor. Ao teu lado eu sei o que é um sentimento, ouço-te e nunca te odeio. Deixei de ter qualquer vergonha daquilo que sou ou digo desde que te conheci, agora preciso de ti, mais que um profeta, só me sinto orgulhosa por ti, por tudo o que és e enfrentas, estás-te a borrifar para o que pensam de ti e de nós, interessas-te apenas pelo que tu pensas e eu penso. E eu amo-me por pensar agora como tu, a pensar da mesma forma que tu, tão forte, tão convicta. A verdade é que és tu, quem me limpa todas as lágrimas que vão escorrendo sempre que a dor aparece, meu amor. Dás dança a qualquer gesto, o teu agir, choras como guerreiro e pensas em mim, nossos segredos são só nossos, até morrermos os dois. Lágrimas da amargura, por muitas discussões.
Quero chamar-te, o canto está escuro
não sei morrer porque não sei viver sem ti
meu famoso entristecer
instinto de mágoa por caminho de tormento
este mundo não existe
deixa-me com esta crença
que eu sou eterna assassina pelo teu amor
Triste dia quando não me afogas a saudade
Belo dia quando vejo o teu sorriso
Grito pelo teu corpo

2 comentários:

Raquel Granja disse...

Tá lindo lindooo! Derreti-me perante essa amor.
Parabéns*

Débra disse...

Está lindo :)
desculpa a invasão mas gostei muito.